Nossos Projetos

Núcleo de Socioassistencial

Inscreva-se

Todos os serviços de proteção socioassistencial, são ofereceidos ininterruptamente, 24 horas diárias, alimentação completa e com atendimento voltado a ações que renovem a autoestima, manutenção de laços familiares quando possível, atendimento psicológico,  atividades socioeducativas, culturais, esportivas e ocupacionais.

Necessitamos permanentemente de doações: ALIMENTOS, MATERIAL DE HIGIÊNE E LIMPEZA, FRALDAS,LEITE,ROUPAS DE CAMA E BANHO e MATERIAL PARA ARTESANATO.

CONTATE-NOS ATRAVÉS DE NOSSOS TELEFONES: 55 15 3211-1854 Casa RECOMEÇAR

                                                                                          55 15 3357-0895 Casa Lar SÃO JOSÉ / República RUMO CERTO

Público Alvo

A criação da Secretaria Nacional de Política para as Mulheres, em 2003, em consonância com a promulgação da Lei Maria da Penha em 2006, são marcos importantes no combate à violência contra a mulher, porém, torna-se portanto mais do que necessário que a sociedade civil, aliada às políticas de Estado sejam capazes de consolidar uma rede socioassistencial capaz de concretizar ações de proteção à mulher vitimizada. E o O ECA-Estatuto da Criança e do Adolescente que em seu artigo 93, prevê o acolhimento de  Crianças e adolescentes de 0 a 17 anos e 11 meses. Por determinação do Poder Judiciário e por requisição do Conselho Tutelar, são instrumento de proteção e garantia de direitos, que embasam o prestação de serviços socioassistenciais do MOMUNES.

A Casa de Acolhimento RECOMEÇAR, é o espaço abriga mulheres, vítimas de violência acompanhadas ou não de seus filhos com até 18 anos de ambos os sexos, em situação de risco ou vulnerabilidade social, risco de morte ou ameaças em razão da violência doméstica e familiar, causadora de lesão, sofrimento físico, sexual, psicológico ou dano moral, residentes na cidade de Sorocaba.

Esta iniciativa acaba por garantir o reconhecimento formal dos direitos à mulher, além de incentivá-las a participar das atividades contempladas no Projeto, no sentido de orientá-las a substituir o espaço conflituosopelo mundo enriquecedor do acolhimento, da arte, da conquista da sua autonomia moral, intelectual e material, além de garantir o exercício pleno da cidadania, envolvendo ainda a família e a comunidade neste empoderamento de garantias fundamentais.

A CASA LAR SÃO JOSÉ, acolhe 20 crianças e adolescentes , com funcionamento ininterrupto por 24 horas diárias, com equipe técnica e cuidadores que para além do acolher, garantem a  proteção integral à criança e adolescente em situação de risco pessoal e social e de abandono, oferecido até que seja possível o retorno à família de origem ou extensa ou colocação em família substituta. 

E por fim, a República para Jovens RUMO CERTO, para os jovens egressos do acolhimento institucional. Que oferecerá acolhimento institucional em república, que oferece proteção, apoio e moradia subsidiada a grupos de pessoas maiores de 18 anos em estado de abandono, situação de vulnerabilidade e risco pessoal e social, com vínculos familiares rompidos ou extremamente fragilizados e sem condições de moradia e de autossustentação. Pretende-se, com o serviço de acolhimento em república, proteger o usuário preservando suas condições de autonomia e independência, promover o fortalecimento dos vínculos sociais e comunitários e o acesso às políticas públicas, além de desenvolver a autonomia das pessoas atendidas. 

Objetivos

Estas iniciativas garantem o reconhecimento formal dos direitos à mulheres, crianças, adolescentes e jovens, reconhecendo-os como sujeitos de direitos e plenos de cidadania. Além de incentivá-los a participar das atividades contempladas nosAcolhimentos Institucionais, no sentido de orientá-las a substituir o espaço conflituoso pelo mundo enriquecedor do acolhimento, da arte, da conquista da sua autonomia moral, intelectual e material, além de garantir o exercício pleno da cidadania, envolvendo ainda a família e a comunidade neste empoderamento de garantias fundamentais e Oferecer acolhimento provisório e excepcional para crianças e adolescentes de ambos os sexos, inclusive crianças e adolescentes com deficiência, em situação de medida de proteção e em situação de risco pessoal, social e de abandono, cujas famílias ou responsáveis encontrem-se temporariamente impossibilitados de cumprir sua função de cuidado e proteção. As unidades oferecem ambiente acolhedor, inseridoss na comunidade e com aspecto semelhante ao de uma residência, sem distanciar-se excessivamente, do ponto de vista geográfico e sócio-econômico, da comunidade de origem das crianças e adolescentes acolhidos. O atendimento prestado é personalizado , em pequenos grupos e favorecer o convívio familiar e comunitário, bem como a utilização dos equipamentos e serviços disponíveis na comunidade local. Grupos de crianças e adolescentes com vínculos de parentesco são atendidos na mesma unidade, e o acolhimento é garantido até que seja possível o retorno à família de origem ou extensa ou colocação em família substituta.